GREVE 2024] Servidores do IFCE rejeitam proposta governo e greve continua

841

Servidores do Instituto Federal do Ceará (IFCE) se reuniram em assembleia geral, na última quarta-feira (24/04), para discutir as propostas do governo federal para o reajuste salarial e a reestruturação das carreiras. A proposta foi rejeitada por unanimidade pela base do SINDSIFCE e a greve continua!

A assembleia, que foi realizada em formato híbrido (presencial e online), contou com a participação de mais de 800 servidores, a maior da história do Sindicato. O resultado será informado a plena do SINASEFE, realizada hoje, 26, pelos delegados escolhidos na ocasião.

As propostas do governo federal para o reajuste salarial e a reestruturação das carreiras foram apresentadas pela docente, Rafaella Florencio e pela técnica administrativa, Lídia Farias.

Conforme sinalizado pelo governo na última semana, permanece 0% de reajuste em 2024, mas o Palácio do Planalto ofereceu 9% em 2025 e 3,5% em 2026 – a proposta anterior era de 4,5% em cada um desses anos.

EM TEMPO – Milhares de servidoras(es) técnico-administrativas(os) – TAEs e docentes, reunidos em 74 seções sindicais, já aprovaram adesão em mais de 520 unidades da Rede Federal, espalhadas por 26 estados. Clique aqui e acesse os mais recentes dados de adesão divulgados pelo SINASEFE.

Os servidores também discutiram a proposta de reestruturação da carreira EBTT, apresentada pelo servidor João Paulo. A proposta foi aprovada pela maioria dos presentes.

Na ocasião, foram eleitos os delegados e observadores que representarão o SINDSIFCE na 190ª Plena do SINASEFE, realizada na sexta-feira (26/04).

Próximos passos

Os servidores do IFCE seguirão em greve até que suas reivindicações sejam atendidas, fortalecendo as ações para que a greve se confirme como a maior da história. A próxima assembleia geral está prevista para a próxima semana.

“O Comando está se reunindo com os outros sindicatos e comandos, a ADUFC e o SINTUFCE, com objetivo de juntarmos forças para a organização de um ato unificado no 1° de maio, buscando dar grande visibilidade a nossa pauta e legitimar nossa luta. Apesar das tentativas do governo de jogar uma categoria contra a outra, vamos seguir juntos e fortes!”, avaliou o Coordenadora Geral do SINDSIFCE, Valmir Arruda.

Jenniffer Dantas, docente do campus Canindé, relembra que a luta é uma construção “que existe desde 2022, feita de forma coletiva. Só devemos sair dessa greve quando as reivindicações de ambas as categorias forem aceitas nacionalmente.”

Sobre a Greve 2024

O SINASEFE aprovou a realização de uma greve nacional, por tempo indeterminado, envolvendo servidoras(es) docentes e técnico-administrativos(as) da Rede Federal de Educação. O movimento paredista reivindica, dentre suas principais pautas, reestruturação das carreiras, recomposição salarial, revogação de medidas que prejudicam a educação e recomposição do orçamento das instituições educacionais, com reajuste imediato dos auxílios e bolsas de estudantes. A deflagração da greve foi ratificada na 188ª PLENA, realizada em 27/03.

Greve do SINDSIFCE

Técnicos em educação e professores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) entraram em greve no dia 11/04.

A Assembleia que deflagrou a greve reuniu mais de 500 servidores.

TRADUÇÃO EM LIBRAS: