Professora Êmy Virgínia é homenageada pela Secretaria da Diversidade do Ceará, em alusão ao Dia Nacional da Visibilidade Trans

95

O evento aconteceu no Palácio da Abolição, sede do Governo do Ceará, e contou com a presença de autoridades, movimentos sociais e militantes da luta LGBTQIAPN+.

Em comemoração aos 20 anos do Dia Nacional da Visibilidade Trans, celebrado no dia 29 de janeiro, próxima segunda, a Secretaria da Diversidade do Ceará, homenageou a Professora Êmy Virgínia, docente do IFCE, demitida em um processo irregular, que luta para recuperar seu cargo e voltar para sala de aula. Aos gritos de “Êmy Fica!”, a professora recebeu a placa de homenagem.

“Hoje é um dia muito especial para mim. Apesar de toda dor dos últimos dias e toda a perseguição que venho sofrendo nos últimos anos, estar aqui e receber essa homenagem, demonstra que somos ouvidas; que nossa luta importa; que não estamos sozinhas. A minha luta para voltar para o IFCE, na verdade, é a luta de milhares de homens e mulheres trans, que precisam ocupar esses espaços, ter suas vozes ouvidas. Estamos chegando, mas agora precisamos lutar para permanecer!”, disse Êmy durante solenidade.

O evento, promovido pela Secretaria da Diversidade (SEDIV), teve como objetivo fortalecer a luta pelos direitos e o respeito à identidade de gênero, além de sensibilizar a sociedade sobre as questões relacionadas à cidadania de pessoas trans.

Além da homenagem, a SEDIV apresentou a atualização do Canal de Denúncias 155 contra a LGBTfobia, destinado a receber denúncias específicas de discriminação por orientação sexual e identidade de gênero e consagrou termo de cooperação com a Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará, para fortalecer a fiscalização e transparência. Juntos, trabalharemos para promover a diversidade e combater a discriminação.

Sobre o Dia da Nacional da Visibilidade Trans

O dia 29 de janeiro é considerado o Dia Nacional da Visibilidade Trans, marco da luta pela cidadania e respeito às travestis, homens e mulheres trans. A data foi criada em 2004 para ressaltar a importância do respeito a esse grupo na sociedade brasileira. É uma data simbólica destinada a lembrar a luta de pessoas trans (travestis, mulheres e homens transexuais) pelo respeito à identidade de gênero e direitos básicos que são diariamente negados dentro da sociedade.

Não apenas pela ÊMY! A luta é por todas as pessoas trans!

No Dia Nacional da Visibilidade Trans, celebrado no dia 29/01, queremos lembrar que a primeira professora trans do IFCE foi DEMITIDA!

Vamos repetir aqui, os questionamentos que fizemos, assim que tomamos conhecimento da demissão da professora ÊMY:

Em um país onde pessoas trans dificilmente têm acesso a educação e trabalho digno, o que diz o IFCE ao retirar uma mulher Trans do espaço da docência? Como se posiciona a instituição, diante das inúmeras violências sofridas por pessoas trans e travestis, ao retirar a professora Êmy da sala de aula, após toda sua árdua trajetória?

É importante salientar que a luta em defesa da professora Êmy, não é apenas uma luta por ela, mas por todas que virão. Queremos um IFCE que respeite a diversidade, que acolha todos os corpos, que trate todos de forma isonômica, garantindo que a educação seja, não apenas teoria, mas prática!

Que nos próximos anos, possamos estar verdadeiramente celebrando a visibilidade das pessoas trans no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará!