Live SINDSIFCE – 18/04 – 17h “Os desafios para a segurança das comunidades educacionais no Ceará: o que fazer?”

28

O ataque que vitimou crianças de 4 a 7 anos, em uma creche de Blumenau (SC) e o pânico que se espalhou pelo país na esteira das ameaças que apareceram em seguida, em redes sociais e aplicativos de troca de mensagens, criaram um sentimento de urgência nos governos.

A crise é tão grave quanto urgente, diante da atmosfera de pânico deflagrada por cruéis ameaças, com ou sem fundamento. Semana passada o SINDSIFCE, enviou Ofício para Reitoria do IFCE, solicitando, ao Magnífico Reitor, Wally Menezes, reunião para tratar da segurança nos ambientes de ensino.

Para debater o tema, o SINDSIFCE irá realizar amanhã, 18/04, às 17h, em nosso Canal do Youtube, a Live: “Os desafios para a segurança das comunidades educacionais no Ceará: o que fazer?”

São nossos convidados o Deputado Estadual Guilherme Sampaio (PT) e o cientista social Ricardo Moura, com a mediação de Valmir Arruda, Diretor do SINDSIFCE e professor do IFCE.

Saiba mais sobre os nossos convidados:

Guilherme Sampaio – Deputado Estadual pelo PT

Educador, mestrando e militante dos movimentos sociais em defesa do direito à educação, Mestrando em Ciências Políticas pela Universidade de Lisboa, Ex-Presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Fortaleza, Ex-Secretário da Cultura do estado, Deputado Estadual pelo Partido dos Trabalhadores e membro da comissão de Educação da Assembleia Legislativa

Ricardo Moura
Jornalista, cientista social e doutor em Sociologia (UFC). Pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência (LEV) e editor do Blog Escrivaninha, especializado em segurança pública (escrivaninha.blog).

Para entender o caso:

A Situação no Ceará

A Segurança Pública do Ceará anunciou que, além das ações de vigilância nas cercanias das escolas, tem investido em ações de inteligência contra desinformação e perfis que espalham ameaças.

O governo usa monitoramento realizado pela Coordenadoria de Inteligência. Um dos resultados é que entre 3 e 11 de abril foram identificados 18 perfis em mídias sociais que relataram ameaças.

As denúncias podem ser encaminhadas para o número 181 ou para o (85) 3101-0181.