Debate sobre Novo Ensino Médio chega a Limoeiro do Norte e lota Auditório do Campus

42

Quase 200 pessoas lotaram o auditório do Campus Limoeiro do Norte, na tarde de ontem, 23/05, para ouvir, compreender e debater o Novo Ensino Médio.

Essa foi a terceira atividade do I FÓRUM “O NOVO ENSINO MÉDIO – CONCEPÇÕES EM DISPUTA”, realizado pelo Sindicato dos Servidores do IFCE, para promover discussões e apontar alternativas para o modelo de ensino, que em seu novo formato, é criticado por estudiosos do tema e comunidade escolar. O Fórum tem se consolidado como espaço relevante no Ceará, com atividades sequenciais nos últimos meses, desde que o Governo anunciou a suspensão – e não revogação – do modelo no país.

Ozirene Vidal, filiada ao SINDSIFCE e docente do Campus, em sua fala de saudação, celebrou a ampla participação de Alunos do IFCE e da rede estadual, professores e técnicos-administrativos.

Para Paulo Marconi, Diretor do SINDSIFCE, “é fundamental que o Sindicato leve esse debate para os campis do IFCE, descentralizando as discussões e alcançando cada vez mais docentes, técnicos-administrativos e estudantes; esse é o nosso papel.

Centrando suas colocações nas pesquisas que realiza, juntamente com seus orientandos no Laboratório de Estudos, Pesquisa e Extensão do Ensino Médio (LEPEEM), John Mateus, palestrante convidado, reforçou a ideia de que os itinerários formativos, “são, na verdade, formas de segregação social, que ampliam as desigualdades que sempre foram proeminentes no ensino público. Ora, passamos 100 anos lutando por uma educação pública de qualidade e vem o Novo Ensino Médio e aplica a bárbara política de exclusão da classe trabalhadora. Queremos a revogação já!.”

Em formato relato, agregando sua experiência cotidiana ao debate, a professora Kariny Maiara, demonstrou que, na prática, o Novo Ensino Médio idealiza “a grotesca proposta de que as escolas podem organizar a sua estrutura curricular, a sua estrutura escolar, em grandes áreas de saber. A gente sabe que isso não funciona; cada disciplina tem sua especificidade.  A gente sabe que um professor de História não pode dar aula de Filosofia.”

As exposições do Prof. John Mateus, do Instituto Federal do Ceará, e da Profa. da Rede Estadual, Kariny Maiara, dialogaram sobre a necessidade de revogação do Novo Ensino Médio, indicando os interesses econômicos subjacentes na proposta.

“O Novo Ensino Médio foi discutido nas Universidades, com pesquisadores, professores, mas em uma ‘sentada’ de mesa de negociação, com as empresas e institutos (Lemann, Unibanco, Ayrton Senna), ficou definido como deveria ser o modelo de ensino”, disse a Professora Kariny.

Para assistir a íntegra do debate, clique aqui.

A vez dos estudantes

Estudantes da Escola Estadual Manoel Matoso Filho, de Russas, apresentaram pesquisa realizada no ambiente escolar.

Natanael, Rian e Ludmila, a partir de observações realizadas em sua própria escola, desenvolveram análise, por meio de coleta de entrevistas com estudantes do primeiro e segundo ano e seus respectivos professores, sobre o impacto do Novo Ensino Médio.

Natanael expôs, que o resultado, demonstrava que o modelo deveria sofrer alterações, ajustes e melhorias, mas não dessa forma, que tem se mostrado excludente.

Professor John Mateus propôs parceria na pesquisa com os estudantes e disse, emocionado: “é esse tipo de formação crítica que o Novo Ensino Médio quer acabar. É essa capacidade de leitura da sua realidade que o Novo Ensino Médio quer acabar. Parabéns. Quero trabalhar com vocês!”

Em seguida, Valmir Arruda, mediador do Debate, “abriu” para perguntas, em uma discussão que gerou diagnósticos e alternativas.

Ao final, com cartazes pedindo a revogação do Novo Ensino Médio, o público posou pra foto oficial do evento.

SINDSIFCE planeja próximo debate sobre o tema no Campus Caucaia. Em breve, divulgação completa.