Comandos de Greve se reúnem com a Reitoria e cobram compromisso e celeridade com as pautas locais

55
Foto: ASCOM SINASEFE CARIRI

Ontem, 14 de maio, representantes das Seções Sindicais Sindsifce, Sinasefe Cariri, Sinasefe Crato, Sinasefe Iguatu, que representam os servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, se reuniram, mais uma vez, com a Reitoria, dessa vez, no Campus Juazeiro do Norte.

O encontro teve como objetivo discutir pontos de pauta específicos de cada seção. As seções cobraram da Reitoria, medidas mais efetivas e céleres para as demandas encaminhadas nas mesas anteriores.

O primeiro ponto tratou da discussão sobre a necessidade de reposição de vagas docentes no Campus Juazeiro do Norte, em resposta à expansão da rede federal. Foi acordado que o diretor do campus elaboraria um projeto para mudança de tipologia, que seria enviado à SETEC, visando a ampliação do quadro de pessoal.

Outro ponto crucial foi o combate ao assédio moral e sexual dentro da instituição. Aa seções informaram que há mais de um ano está parado, sem prosseguimento, a solicitação da Reitoria acerca do parecer sobre a política de combate ao assédio. Também foi discutida a necessidade de fortalecimento das políticas étnico-raciais, com a alocação de recursos para os núcleos que tratam dos temas.

No que se refere à reorganização administrativa e ampliação de funções gratificadas, ficou estabelecido que a Reitoria buscará recursos e sensibilizará a SETEC para atender às demandas dos servidores e consolidar as estruturas necessárias para o bom funcionamento da instituição.

SUSPENSÃO DO CALENDÁRIO

A discussão sobre este ponto da pauta foi ampla e divergente, resultando na decisão da Reitoria de não suspender o calendário no momento, devido a “implicações políticas e administrativas”.

Por fim, a questão do descumprimento de um acordo prévio sobre o rol de atividades consideradas essenciais também foi abordada. Raquel Nepomuceno, da Diretoria do SINDISFCE, solicitou que a Reitoria cumpra os acordos de forma bilateral, mantendo uma comunicação clara e constante com os comandos de greve, para evitar mal-entendidos e promover a pacificação junto à base sindical.