Sem TAEs, não há acordo!

16

Depois de 13 dias de espera pela continuidade das negociações, o Governo demonstra novamente que pretende dividir o nosso movimento.

Quando o Governo Lula convoca a Mesa Docente e não aponta a data da Mesa TAE, demonstra essa tentativa divisionista e o desrespeito ao processo negocial. Precisamos de uma resposta firme do nosso Sindicato Nacional e da Base da Categoria.

Nenhum titubeio ou recuo diante de propostas que venham nos dividir! Faremos a discussão e deliberação sobre as mesmas, quando os dois segmentos receberem as propostas do Governo. Exigimos o atendimento às demandas de TAEs e Docentes.

A nossa resposta a essa tentativa é a ampliação e fortalecimento da nossa greve. Já tentaram nos dividir em outros momentos e sempre respondemos, na prática, com a nossa unidade.

Na Greve da Educação Federal de 2001 TAEs tiveram proposta de acordo apresentada primeiro; já na Greve da Educação Federal de 2005, inverteu-se essa ordem, com Docentes tendo a proposta de acordo apresentada antes. Nas duas ocasiões, o SINASEFE manteve a paralisação, garantindo a unidade da composição do sindicato.

Não aceitaremos o oportunismo e a falta de solidariedade de classe. Nós começamos essa greve com uma pauta unitária e não nos perderemos por outro caminho!

SEM TAEs, NÃO TEM ACORDO!

COM INFORMAÇÕES DA ASCOM DO SINASEFE.