Assembleia aprova criação de “Comitê IFCE em Defesa da Educação Pública e da Democracia” e encaminha ações para eleger Lula e derrotar Bolsonaro

5

O Sindicato dos Servidores do IFCE, realizou ontem, 13/10, em formato híbrido (presencial e virtual), Assembleia Geral Ordinária.

Na pauta, as eleições presidenciais – e a urgente convocação para mobilização em torno da candidatura do presidente Lula -; o Dia Nacional de Luta em defesa da Educação, marcado para ocorrer no próximo dia 18 e a retomada das ações de enfrentamento à PEC 32, ameaçada de retornar à pauta do Congresso nos próximos dias.

Durante os debates iniciais, a Diretora do SINDSIFCE, professora Rafaella Florêncio, informou que o Conselho Superior (CONSUP) do IFCE deverá avaliar, em sua próxima reunião, proposta apresentada pela Direção do Campus Tianguá, que trata da reposição, em formato de Teletrabalho, das atividades de licença dos docentes. Em concordância, com objetivo de confrontar a proposição, os servidores Antônia Karla Bezerra, Valmir Arruda e Rafaella Florêncio dispuseram-se a recompor a Comissão de Teletrabalho, que avalia os impactos da iniciativa para servidores do IFCE.

A Diretoria Colegiada do SINDSIFCE encaminhou, então, para os debates acerca da consigna “eleger Lula para derrotar Bolsonaro”, retirada no 34o CONSINASEFE.

Sobre o tema, o Diretor do SINDSIFCE, Valmir Arruda, fez breve histórico, explicando que o Sindicato tem firmado discussões com outros Sindicatos da Educação, recebido orientações do SINASEFE e repassado para base, buscando mobilizar a categoria para o importante objetivo do momento: ter um governo progressista eleito, que valorize os servidores públicos e a educação brasileira; objetivo este personificado na candidatura do Presidente Lula.

“Entendo que o engajamento, neste segundo turno, especialmente direcionado aos eleitores da chamada “terceira via” (Ciro e Simone Tebet), devem guiar nossas ações. Produzimos materiais, estivemos panfletando e adesivando carros na Av. 13 de maio e estamos com várias atividades programadas para os próximos dias, focando na mobilização nacional, que ocorrerá na terça (18/10).”

Algumas sugestões, pontuadas pelos presentes, estão dispostas a seguir e visam otimizar as dinâmicas de lutas.

  • criação de um calendário;
  • junção de atividades que ocorrem em cidades do interior, já em andamento;
  • criação de “banquinhas de conversa” com indecisos;
  • apoio à atividades de outros sindicatos, grupos e movimentos sociais;
  • criação de um Comitê em defesa da Educação Pública, assim denominado: “Comitê IFCE em Defesa da Educação Pública e da Democracia”;
  • e elaboração de estratégias para mobilizar a comunidade acadêmica.

Ao final da Assembleia, foi sugerido – e aprovado – que a PEC 32 seja retirada de pauta e transferida para o dia 21/10, na ocasião do lançamento do “Comitê IFCE em defesa da educação pública e da democracia”.