ARTIGO] Na difícil sinfonia da negociação, um maestro do caos: PROIFES

67

Greve forte e com grande adesão e potencialmente capaz de fazer história: essa é a greve de 2024 da educação federal.

Não há outra música, senão essa. Não há outra forma de harmonizar as melodias, senão a união.

Ao longo de 2023, até chegarmos aqui, em 2024, o SINDSIFCE, juntamente com o SINASEFE Sindicato Nacional, esteve na luta, ajustando os instrumentos, escrevendo cada letra a ser negociada, nessa complexa orquestra que são as necessidades daqueles que fazem a educação federal no Brasil.

Mas, e quando um Sindicato se torna o maestro da discórdia, sabotando as negociações e mergulhando a classe trabalhadora em um mar de incertezas?

Enquanto os trabalhadores da educação clamam por melhores salários, condições de trabalho dignas e respeito, o PROIFES, também conhecido como TRAIFES, nos corredores do poder, vendem a nossa luta; uma cacofonia de vozes discordantes.

A sede pelo poder transforma, amplia as vaidades, ambiciona e nos coloca para assistir um show de horrores, onde os únicos derrotados são os próprios trabalhadores.

Mas há força, há luta, há verdade e há esperança.

Agora, é o momento do diálogo aberto e transparente, independentemente de suas categorias ou filiação sindical ou convicções políticas. É preciso superar as rivalidades históricas e construir pontes de colaboração.

Então, que os maestros da discórdia cedam lugar aos maestros da união! Que a sinfonia da discórdia se transforme em uma melodia de esperança! Que os sindicatos, unidos e fortes, lutem por um futuro melhor para todos os trabalhadores!

A greve tá mais viva do que nunca e está em nossas mãos! Ligue essa música! Faça se escutar! Vamos em frente! A greve continua!

Valmir Arruda – Coordenador Geral do SINDSIFCE